sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Agripino admitiu ter pedido uma graninha à construtora OAS.



Além de sua proximidade com o governo federal e com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-presidente da OAS Léo Pinheiro também recebia pedidos de doações eleitorais de integrantes da oposição. As mensagens obtidas em seus celulares pela Polícia Federal mostram solicitações de ao menos três parlamentares oposicionistas: o presidente nacional do DEM, senador Agripino Maia (DEM-RN), o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o deputado Jutahy Júnior (PSDB-BA). Pode haver ainda outras comunicações com oposicionistas, porque as mensagens de Pinheiro filtradas pela Polícia Federal em seu relatório representam menos de 1% de um universo de 80 mil mensagens.


Em declaração feita à Folha de São Paulo, o senador Agripino Maia confirmou ter procurado o ex-presidente da OAS, Léo Pinheiro, para pedir doações eleitorais. De acordo com ele, a construtora colabora, há várias eleições, com o DEM e todos os outros partidos. “A OAS doou para diversos diretórios nossos. Todas os repasses são absolutamente legais e constam nas prestações de contas. Ainda assim, o DEM está à disposição para fazer qualquer esclarecimento necessário”, afirmou.


Fonte: Robson Pires

Postagem de Evandro Lopes.

0 comentários


EnviarEmoticon

Próxima Proxima
Anterior Anterior