quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Cesta básica de Natal fecha ano como terceira mais barata do país

Preço dos alimentos básicos caiu de novembro para dezembro.
Alta acumulada durante o ano foi de 12,64%.

Cesta básica, preço, produtos, alimentos, Amapá, Macapá (Foto: Jorge Abreu/G1) 
Cesta básica só é mais barata em Recife (R$ 347,96) e Aracaju R$ (349,68) (Foto: Jorge Abreu/G1)
A cesta básica em Natal custou R$ 351,96 em dezembro, fechando 2016 como a terceira mais barata entre as capitais brasileiras. O preço da cesta caiu 0,74% em relação a novembro, mas acumulou alta de 12,64% durante o ano, segundo o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).
Em dezembro, as maiores altas foram da banana (13,71%) e do óleo de soja (8,51%). O tomate, cujo preço vinha caindo nos últimos meses, também ficou mais caro (3,95%), assim como o café em pó (2,46%), a farinha de mandioca (1,80%), o açúcar refinado (0,32%) e o pão francês (0,25%).
A maior queda registrada foi a do feijão, que ficou 16,58% mais barato de novembro para dezembro. Também tiveram queda os preços do leite integral (-3,95%), da manteiga (-0,64%) e da carne bovina de primeira (-0,38%).
Acumulado do ano
O tomate foi o único alimento da cesta básica que ficou mais barato (-29,49%) em 2016. Onze produtos ficaram mais caros. Tiveram aumento acima da variação média da cesta (12,64%): feijão carioquinha (66,07%), manteiga (62,53%), farinha de mandioca (57,38%), açúcar refinado (31,36%), banana (27,13%), arroz agulhinha (22,81%), café em pó (21,67%) e leite integral (16,12%).
Salário mínimo
Em dezembro de 2016, o natalense remunerado pelo salário mínimo teve que trabalhar 87 horas e 59 minutos para comprar os alimentos básicos, 1 hora e 27 minutos a mais do que no mesmo mês do ano anterior. A cesta básica custou 43,47% do salário mínimo líquido, ou seja, após o desconto da Previdência Social.

Fonte: G1 RN.

0 comentários


EnviarEmoticon

Próxima Proxima
Anterior Anterior