terça-feira, 31 de janeiro de 2017

RN forma comissões para elaborar projeto de dessalinização da água do mar

 
O governo do Estado, através da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), continua discutindo projetos de reuso e dessalinização de água do mar, como forma de mitigar a atual e futuras crises hídricas que possam ser vivenciadas pelo RN. Nesse sentido, a Semarh formou duas comissões técnicas, cada uma sobre um dos temas, para atuarem na elaboração de projetos pilotos a serem implantados no Estado.

O Secretário Adjunto e coordenador dos trabalhos, General Araújo Lima, explica que a elaboração desses projetos é a continuação de um evento realizado, em novembro passado, pelo Estado para fomentar discussões e apontar os desafios e benefícios decorrentes da dessalinização das águas do mar e do reuso de água no RN, o I Simpósio das Águas do Rio Grande do Norte (SIMAGUA).
Para compor as duas comissões e auxiliar na elaboração dos pilotos foram convidados técnicos capacitados e com conhecimento de alto nível sobre o assunto, inclusive alguns especialistas que já tinham contribuído no Seminário. “Também convidamos as prefeituras com experiências empregadas, como é o caso de Florânia, que já utiliza reuso de água residual para irrigação e alimentação do gado, além de representantes de salinas, uma vez que uma das ideias discutidas seria direcionar o rejeito da usina de dessalinização para esse local” frisa o General.

O Secretário Mairton França ressalta que os projetos pilotos de reuso de água e de dessalinização de água do mar do RN, com a instalação de uma usina teste, surgem como alternativa para reduzir a captação de água em mananciais, preservando-a para os usos mais restritivos, como é o caso do abastecimento humano. “O uso de alternativas e tecnologias sustentáveis traz uma possibilidade concreta mitigar os efeitos da escassez hídrica, no entanto é preciso uma discussão profunda sobre as viabilidades econômica, ambiental, social e técnica, dos projetos, e para isso formamos as comissões” relata Mairton.

No tocante às discussões econômicas, a Semarh está estudando possibilidades de parcerias com a iniciativa privada para realização do projeto.

“Sobre a viabilidade econômica, por exemplo, de uma usina, ela deve englobar todo o processo de dessalinização de água do mar, isto é, não se considera apenas o sistema de membranas, mas inclui também o sistema de captação, de pré-tratamento, de pós-tratamento, de descarga do concentrado salino” conclui Mairton.
A segunda reunião da comissão de reuso acontecerá, amanhã (31), e o segundo encontro da equipe que discute a dessalinização, na quarta-feira (01), ambas no auditório da Semarh.

Para compor o Comitê de reuso, a Semarh convidou técnicos da Companhia de Água e Esgotos do Rio Grande do Norte (CAERN), do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (IDEMA), do Instituto de Gestão das Águas do Estado do Rio Grande do Norte (IGARN), da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER), da Empresa de Pesquisa Agropecuária (EMPARN), Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (FIERN), Defesa Civil; de professores da UFRN, IFRN, UERN; de representantes da prefeitura de Santana do Seridó e de Florânia. A comissão de dessalinização é formada por representantes da CAERN, IDEMA, IGARN, FIERN, Defesa Civil; de professores da UFRN, IFRN, UERN; de representantes das salinas Salinor, Henrique Lage, Grupo Maranata e F Souto.


Fonte: O Mossoroense

0 comentários


EnviarEmoticon

Próxima Proxima
Anterior Anterior