quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Alunos estudam juntos e criam laços de amizade a mil quilômetros de distância

Resultado de imagem para Alunos estudam juntos e criam laços deamizade a mil quilômetros de distância
Imagem do Google Fotos.


Se estudar à distância já foi sinônimo de solidão, hoje não é mais. A tecnologia tem contribuído cada vez mais para aproximar estudantes de diferentes regiões do país. É o caso de Welisson Barbosa, de 18 anos, que utiliza uma plataforma de ensino à distância para se preparar para o vestibular. Seu sonho é passar em Medicina na cidade onde mora, Foz o Iguaçu (PR). Ele acredita que estudar pela web é o ideal para aquelas pessoas que têm dificuldade de se relacionar pessoalmente e preferem falar pela internet.
"A maioria dos meus amigos são virtuais e somos muito unidos. O colega que eu mais converso mora em São Paulo, a mil quilômetros daqui. Várias vezes por semana abrimos conferências no Skype e estudamos juntos. Ele é melhor em exatas e me ajuda com essas disciplinas", conta Barbosa, que retribui com seu conhecimento nas matérias de humanas, nas quais seu amigo encontra mais dificuldade.
E essa parceria não se restringe aos estudos. Nos finais de semana, eles se encontram no ambiente online para falar da vida e até de política. "Nesse assunto, a gente diverge um pouco. Quando discutimos quais seriam as medidas mais importantes para melhorar o país, ele tem uma visão mais capitalista e eu, mais social", comenta.
De acordo com Larissa Calazans, professora de Matemática do Stoodi- startup de educação à distância que oferece videoaulas, planos de estudos e monitorias transmitidas ao vivo -, este espírito colaborativo é um dos grandes atrativos desta forma de estudar. "Existem milhares de grupos de estudo nas redes sociais e vejo que os alunos têm muito presente essa vontade de trocar conhecimento e experiências. Muitos deles não se encaixavam em nenhuma turma e agora se identificam com esta: se sentem pertencendo ao grupo de alunos que estudam à distância", diz.
No entanto, a professora faz a ressalva que é essencial complementar a experiência com a convivência presencial com outros amigos. "Orientamos sempre que eles cultivem amizades presenciais. O que percebemos que acaba acontecendo é que essa liberdade em interagir pela internet, muitas vezes, funciona como o pontapé inicial para esses alunos mais retraídos se soltarem mais em suas relações interpessoais no mundo real", explica.
Larissa faz monitorias semanais com os alunos ao vivo pela internet e diz conversar com a câmera como se estivesse olhando nos olhos dos estudantes. "Faço as brincadeiras necessárias em salas de aula para chamar a atenção deles e dou até bronca quando eles mandam uma pergunta com um enunciado confuso. Faz parte do papel do professor", conta a professora.
Para ela, outro ponto interessante de ensinar à distância é que, diferente de uma sala de aula, aonde o conhecimento chega para 50 ou 60 alunos, ela tem a possibilidade de atingir centenas de milhares de alunos em diversas partes do Brasil.
Moradora de Porto Seguro, Vitória Nobre tem 18 anos e é outra aluna entusiasta da educação à distância. "Encontramos tanta identificação com os colegas dos grupos de estudos porque todos estamos lá atrás do mesmo objetivo: conseguir a tão sonhada aprovação. Lá tiramos nossas dúvidas, ajudamos uns aos outros nas questões mais difíceis, damos apoio a quem precisa e até desabafamos. Somos tipo uma família", diz.
Vitória sentiu a força destes laços de amizade quando passou por um problema sério de saúde na família. No ano passado, seu pai teve câncer e ela teve que viajar pra cuidar dele, se afastando dos estudos. Mesmo ficando meses longe, quando voltou,seu celular não parava de tocar. "Eram meus amigos virtuais perguntando como eu estava e me contando os resultados dos vestibulares. Comemorei muito junto aos que passaram e chorei com todos aqueles que não conseguiram a aprovação. Neste ano estamos juntos novamente, firmes nos estudos", finaliza.
Sobre o Stoodi
Lançado em 2013, oStoodi é uma startup de educação à distância que oferece videoaulas, planodeestudos e monitoriastransmitidasao vivo. A plataforma nasceu com o objetivo de democratizar o acesso à educação no país, oferecendo uma plataforma intuitiva e acessível para facilitar a vida dos estudantes em fase pré-vestibular e de alunos do ensino médio que precisam de reforço escolar. A plataforma já conta com 600 mil alunos cadastrados e 40 milhões de aulas assistidas, que correspondem a5milhões de horas de conteúdo.

0 comentários


EnviarEmoticon

Próxima Proxima
Anterior Anterior