sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Professor é denunciado por gravar imagens das alunas nuas em Upanema usando celular escondido

Um professor de geografia, de 34 anos, foi afastado de suas funções na Escola Estadual José Calazans Freire, no Centro de Upanema/RN, no início desta semana. 
O motivo: ele estava levando adolescentes para tomar banho de piscina num sitio perto da cidade de Upanema e lá destinava um quarto para as meninas trocarem de rouba para entrarem na piscina. 
Neste quarto, o professor deixava um celular escondido com a câmera ligada para gravar imagens das meninas colocando biquines. Neste final de semana, as meninas descobriram o celular. 
O aparelho estava ligado, estrategicamente localizado no bolso de uma calça pendurada no quarto, com a câmera virada para as meninas. No celular, as meninas contaram que viram dezenas de vídeos das colegas se trocando e nuas. 
As meninas relataram que saíram do quarto assustadas, perguntando de quem era o celular e o professor Abimael Medeiros, se mostrando surpreso para as jovens, assumiu que o aparelho era dele. 
As meninas voltaram para suas casas na cidade de Upanema e o professor não foi mais visto. O fato foi comunicado a Polícia Civil, a Polícia Militar e também na direção da escola José Calazans Freire, que fica no Centro da cidade. 
O diretor da escola, professor Diógenes Matoso, confirmou o fato ao MOSSORÓ HOJE. Ele disse que o professor foi afastado de suas funções pela direção da escola até que o caso seja apurado. Ele se mostrou surpreso com o fato. 
O município de Upanema, distante 40 km de Mossoró, está sem delegado titular. Quem está interinamente no cargo é o delegado André, que é o adjunto da Delegacia Especializada em Furtos e Roubos de Mossoró. 
Este delegado passou a noite no plantão da Polícia Civil em Mossoró na noite de quarta para quinta-feira, 7, e quando tentando um contato com ele estava descansando. 
O delegado regional Denis Carvalho da Ponte destacou que a denúncia das jovens adolescentes, que está exposto nas redes sociais, é muito grave e passivo de investigação. 
As jovens nas redes sociais estão protestando exatamente porque ainda não foram adotadas providência previstas em lei contra o professor de geografia delas. Elas divulgaram também nos grupos a foto do professor, classificando-o de pedófilo. 
Ao tomar conhecimento do fato, a população da cidade ficou indignado. “Todos aqui na cidade estão indignados com este fato”, destaca um morador (pediu para não revelar o nome), mostrando a revolta das estudantes nas redes sociais. 
O MOSSORO HOJE tentou um contato com o professor através de um número fornecido pelas alunas, mas estava desligado. Nesta sexta-feira, 8, faremos novas tentativas.
Segue os prints com as jovens protestando contra a falta de atitude contra o professor.
Fonte: Mossoró Hoje.

0 comentários


EnviarEmoticon

Próxima Proxima
Anterior Anterior