segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Uma semana após fim das chamas, vida volta a pulsar na Chapada dos Veadeiros

Incêndio destruiu 28% da área total do parque nacional e contou com ajuda de bombeiros, brigadistas e voluntários 
http://www.imcgrupo.com/impress/gt/obj_strip/obj_strip_112995_0_full.jpg 
Uma semana após a reabertura do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros (GO), a natureza começa a dar sinais de recuperação. O local que foi alvo de um dos maiores incêndios da história, teve atingido 66,014 mil hectares, o equivalente a 28% do total da unidade de conservação.
Moradores e voluntários começam a registrar o retorno de animais silvestres às áreas visitadas do parque. Na manhã desta segunda-feira (06), uma espécie de pavão silvestre voltou a ser visto nas redondezas da Pousada Inácia, um dos conhecidos santuários ecológicos da entrada do parque nacional e que, por pouco, não é alvo das chamas. Pouco mais cedo uma arara-canindé e um casal de tucanos também foram vistas nas proximidades da propriedade.
Mutirões chegaram a serem organizados por veterinários e biólogos para resgatar espécies silvestres dos incêndios e até mesmo conscientizar motoristas sobre os limites de velocidade a fim de evitar atropelamentos de bichos em fuga.
"O que percebemos é que a natureza aos poucos vai retomando o seu poder e sua a beleza. É emocionante, depois de tanto desespero e tanto cinza, ver o colorido da vida retomando as paisagens da Chapada dos Veadeiros", conta a advogada Gabriela Alcoforado, proprietária da Inácia. Ela relata que o movimento de turistas retomou à normalidade desde o último fim de semana. "Todos ficaram muito preocupados e querem fazer de tudo para ajudar de alguma forma", relata.
No toal, foram mais de 500 pessoas, entre brigadistas, bombeiros e anônimos, voltadas ao combate às chamas. Moradores e voluntários são favoráveis às ações prévias de conscientização, de proteção do meio ambiente e capacitação, para que sejam constantes e não terminem com a extinção do fogo.
Exemplo é a Rede contra Fogo, organização da sociedade civil que reuniu mais de 200 voluntários para conter as chamas e que abriu uma campanha para o pós-incêndio no parque. Pela internet, a rede pretende arrecadar R$ 574.710 para organizar e capacitar oito brigadas voluntárias regionais, compostas por 12 pessoas cada. O grupo já arrecadou mais de R$ 450 mil.
"Como a gente vai fazer ano que vem para que isso não aconteça de novo? Tem que capacitar todo mundo, todo mundo tem que saber mexer em um abafador, todo mundo tem que ter bomba costal em casa, fazer aceiro", diz a idealizadora da rede, Sílvia Hennel. Além das brigadas, a organização pretende desenvolver projetos educacionais e criar uma central informação voltada para a preservação do bioma Cerrado.
O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros funciona de terça a domingo. Em casos de feriados na segunda-feira, a unidade de conservação permanece aberta na data e fecha no primeiro dia útil subsequente. Em janeiro e julho, meses de férias escolares, o parque fica aberto durante todos os dias.
A entrada é das 8h às 12h e a saída, até as 18h. Na entrada, o registro dos visitantes é feito mediante o preenchimento do Termo de Conhecimento de Riscos e Normas.

0 comentários


EnviarEmoticon

Próxima Proxima
Anterior Anterior