quinta-feira, 26 de abril de 2018

Médico morre com suspeita de H1N1 em hospital de Natal

Homem morreu nesta quarta-feira (25) em UTI do Walfredo Gurgel, após se internar no dia anterior. Caso será investigado para definir motivo da morte.

 Resultado de imagem para Médico morre com suspeita de H1N1 em hospital de Natal
Um médico que fazia parte dos quadros do Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, o maior do Rio Grande do Norte, localizado em Natal, morreu nesta quarta-feira (25) após passar mal no dia anterior e ser internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). A suspeita, confirmada pelo próprio hospital, por meio de sua assessoria de imprensa, é de que a morte tenha ocorrido pela gripe do tipo H1N1.
A vítima deste caso seria um neurocirurgião do próprio Walfredo Gurgel, identificado como Fernando Cunha, de 63 anos. Segundo informações, ele trabalhou ontem, mas se sentiu mal. Em seguida foi internado na UTI do hospital.
Após a morte confirmada, no início desta tarde, por volta das 13h, uma amostra foi enviada para o Laboratório Central de Saúde Pública do Rio Grande do Norte (Lacen-RN). Testes mais detalhados serão feitos para determinar se a morte ocorreu mesmo por H1N1. Segundo o Walfredo Gurgel, só após o exame será possível responder essa questão, mas não foi divulgado um prazo para o resultado.
A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) foi notificada sobre o caso. A pasta deverá conduzir uma investigação sobre o caso, mas por meio de sua assessoria adiantou que o neurocirurgião apresentava uma síndrome respiratória aguda, o que podia indicar a atuação do vírus da Influenza (gripe).

Notificações

De acordo com a SMS, no Município não possui nenhuma morte confirmada pela gripe H1N1. Segundo a pasta havia apenas um caso investigado como síndrome respiratória aguda grave (SRAG), que pode incluir tanto a H1N1 quanto outros tipos de gripe mais severas.
A Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap-RN), por meio de nota, informa ainda que até o momento, no RN, não houve nenhum óbito confirmado por gripe H1N1. A estatística leva em conta o período de 01 de janeiro a 7 de de abril de 2018.
"No referido período foram registrados quatro óbitos, que estão classificados da segunte forma: três casos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e um como SRAG 'por outros vírus respiratórios', ou seja,nenhum confirmado por H1N1", destaca a pasta estadual.

Campanha de vacinação

O país está em plena campanha para a imunização da gripe. A Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza 2018 começou no último dia 23 e segue até 1° de junho, sendo o 12 de maio o ‘Dia D’. De acordo com a Coordenação Estadual de Imunizações (CEI), a estimativa para esta edição é vacinar mais de 54,4 milhões de pessoas em todo país. No Rio Grande do Norte, a expectativa é imunizar 879.430 pessoas, tendo como meta atingir 90% dos grupos prioritários.
Fazem parte dos grupos elegíveis para a vacinação as crianças na faixa etária de seis meses a menos cinco anos de idade (4 anos, 11 meses e 29 dias), gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), indivíduos a partir dos 60 anos, trabalhadores da saúde, professores de escolas públicas e privadas, povos indígenas, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas, a população privada de liberdade e os funcionários do sistema prisional. 

G1RN.

0 comentários


EnviarEmoticon

Próxima Proxima
Anterior Anterior