quinta-feira, 4 de abril de 2019

Em 4 anos, maior hospital do RN tem redução de 59% na entrada de vítimas de acidentes com moto

 Em 2018, Pronto Socorro Clóvis Sarinho recebeu média de 17 pacientes deste tipo por dia. Em 2015, eram 29. Casos ainda são graves.
Pronto-socorro Clóvis Sarinho, no Hospital Walfredo Gurgel (Arquivo)  — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi
Pronto-socorro Clóvis Sarinho, no Hospital Walfredo Gurgel (Arquivo) — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi
Um levantamento feito pelo Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel, o maior da rede pública do estado, registrou redução no número de entradas de vítimas de acidentes com moto pelo quarto ano consecutivo. Ao todo, a diferença é de quase 60% entre 2015 e 2018.
A maior média de vítimas destes casos foi registrada em 2015, com 29 novos pacientes por dia. Para estas mesmas situações, até o fim do ano passado, o pronto socorro da unidade, o Clóvis Sarinho (PSCS), atendeu a uma média de 17,2 pacientes diários.
Isso representa uma redução de 59,31% no número de motociclistas e motoqueiros feridos e que deram entrada na maior unidade de saúde pública potiguar para atendimentos do trauma.
Para o chefe do setor de cirurgia geral do HMWG, Ariano Oliveira, a diminuição se deve a uma maior conscientização tanto de motoristas, quanto de motociclistas. “Acredito que as pessoas estão ficando mais conscientes no trânsito", afirma. No entanto, o cirurgião chama a atenção para a gravidade daqueles pacientes que continuam a dar entrada no PSCS. 
Acidente de moto em Ceará-Mirim, na região metropolitana de Natal — Foto: PRF/Divulgação
Acidente de moto em Ceará-Mirim, na região metropolitana de Natal — Foto: PRF/Divulgação

“Infelizmente essa redução do número de casos ainda não acompanhou uma queda na seriedade do quadro de saúde de quem chega ferido à nossa porta de urgência. É preciso que mais pessoas se conscientizem sobre os perigos de pilotar uma moto e que procurem se educar sobre pilotagem segura no trânsito”, sugere. O acompanhamento do número de acidentes com moto é feito pelo setor de arquivo do hospital desde o ano de 2004 e computa, anualmente, o total de vítimas, assim como as médias mensais e diárias destes atendimentos. 

G1RN.

0 comentários


EnviarEmoticon

Próxima Proxima
Anterior Anterior