segunda-feira, 27 de maio de 2019

11 CHEFES DE ORGANIZAÇÃO CRIMINOSA SÃO TRANSFERIDOS PARA PENITENCIÁRIA FEDERAL DE MOSSORÓ.

Os 11 líderes transferidos para Mossoró fazem parte da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC)
Com essa nova transferência, já são 46 líderes do PCC transferidos do Ceará para o RN em 2019. Foto: Ministério da Justiça
11 chefes da organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) foram transferidos para uma cadeia federal de segurança máxima, na madrugada deste sábado, 25. A decisão foi tomada na tarde da última quarta-feira, 22, pela Justiça Estadual. Os detentos foram para a Penitenciária Federal em Mossoró (RN), de maneira provisória.
A reportagem teve acesso ao documento sobre a medida. De início, foi solicitado a transferência para a Penitenciária Federal em Campo Grande, Mato Grosso do Sul. No entanto, de modo temporário, os presos foram para a Penitenciária de Mossoró até a “adoção de providências pelo Departamento Penitenciário Nacional”. A ida emergencial para a Penitenciária de Campo Grande deve ocorrer no prazo máximo de 60 dias.
O Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco) do Ministério Público do Ceará (MPCE), pediu a transferência de 21 detentos. No entanto, a Justiça concedeu somente de 11. Entre os nomes rejeitados pelo juiz federal de Mossoró (RN) está o de Francisco Márcio Perdigão, um dos mais atuantes chefes do tráfico do Ceará.
Durante a onda de ataques das facções no Ceará em janeiro deste ano, a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) isolou 30 presos do PCC. 21 membros do Comando Vermelho (CV) e 15 do Guardiões do Estado (GDE) foram realocados para outro presídio federal durante os atentados no Estado, já que eles tinham sido acusados pelos ataques.
 
Passando na Hora.

0 comentários


EnviarEmoticon

Próxima Proxima
Anterior Anterior