quinta-feira, 16 de maio de 2019

TIM FECHA PRIMEIRO TRIMESTRE EM ALTA.


A TIM fecha os três primeiros meses de 2019 com evolução da base de valor e expansão contínua do EBITDA normalizado (1). O indicador, que cresce há 11 trimestres consecutivos, registra um aumento de 5,3% ano a ano, totalizando R$ 1.497 milhões. Essa evolução reforça o compromisso da operadora em controlar custos e despesas, investir em ofertas de maior valor no segmento móvel e ampliar a cobertura de seus serviços fixos. Essa margem foi recorde para um primeiro trimestre 35,7%, um aumento de 1,2 p.p. na comparação com o mesmo período de 2018. 
Nesse primeiro trimestre, a receita líquida da TIM Brasil foi de R$ 4.191 milhões, alta de 1,7% ano a ano, com a contribuição de todos os segmentos: serviços móvel e fixo e venda de aparelhos. Os destaques neste período foram o crescimento de 11,4% (A/A) da base pós-paga e a receita de serviço fixo, totalizando R$ 229 milhões, um aumento de 11,6%, estimulado pelo avanço da TIM Live, que cresce 34,9% no 1T19 em comparação ao 1T18. Mesmo em um cenário macroeconômico desafiador, os investimentos no período somam R$ 650 milhões evolução de 6,0% ano a ano. 
“O foco no segmento de alto valor continua rendendo indicadores positivos, reforçando nossa presença em mercados relevantes, como a ultra banda larga fixa. A TIM encerra esse ciclo com resultados sólidos em algumas frentes do negócio, mas também enxergando desafios importantes. Assumo a companhia neste cenário, confiante de que temos a capacidade de mudar rapidamente e voltar a liderar os movimentos do setor, impulsionados pelo nosso DNA inovador”, ressalta Pietro Labriola, CEO da TIM Brasil.

TIM no Nordeste
A TIM segue a liderança 4G, a atendendo à 3.295 cidades brasileiras, e 93% da população urbana, atingindo 35,6 milhões de usuários. No Nordeste, essa cobertura é disponibilizada para 2.490 cidades. Pioneira na implementação da frequência 700MHz, a operadora oferece a tecnologia em 1.471 cidades do Brasil, sendo 1.342 munícipios nordestinos, um crescimento de 50,9% em relação a 2018. Destas, 825 cidades possuem LTE Advanced (Long Term Evolution), já o VoLTE (ligação de voz em alta definição) está disponível em 2.187municípios da região.    

TIM Live: crescimento contínuo 
O TIM Live, serviço de ultra banda larga fixa da operadora, se mantém como uma importante frente de negócio da companhia. No trimestre, o produto registrou uma expansão de 34,9% da receita e 18,3% da base, fechando o período com 486 mil clientes. A receita média mensal por usuário (ARPU) tem alta de 12,0% quando comparada a igual período de 2018, chegando a R$ 79,6. 
A empresa segue com a evolução da tecnologia FTTH (Fiber To The Home), que encerra o trimestre em 12 cidades do Brasil. Já a oferta de banda larga residencial por meio da rede móvel (WTTX) foi ativada em 21 novas cidades, fechando o período em 144 localidades.

Evolução do pós-pago
Focada no crescimento do segmento pós-pago, no último ano a TIM adicionou 2,1 milhões de novas linhas, totalizando 20,6 milhões de usuários e representando 37,4% da base total.  A nova campanha, estrelada pelas cantoras Ludmilla e Simone & Simaria destaca os benefícios da oferta TIM Controle, que inclui Instagram, Facebook e WhatsApp ilimitados, além de muita internet para o cliente usar como quiser. 

Experiência do cliente 
Com objetivo de melhorar a experiência do usuário, a TIM segue com a digitalização dos seus serviços e produtos. Os resultados do primeiro trimestre demonstram essa atuação: aumento de 27% nas vendas do segmento pós-pago por canais digitais, alta de 54% do número de usuários únicos do aplicativo de autoatendimento MEU TIM e crescimento de 102% do envio de faturas online. A empresa investe também em um atendimento cada vez mais inclusivo, reconhecido pelo Prêmio Anatel de Acessibilidade em Telecomunicações 2019.

4G TIM no Campo
O pioneirismo e a liderança da TIM em 4G e na expansão do uso da faixa de 700 MHz em todo país permitem que a empresa aposte em novas oportunidades de negócio.

O destaque é o apoio à iniciativa ConectarAGRO para expandir o acesso à internet nas mais diversas regiões agrícolas do Brasil, conectando o campo, seus equipamentos e pessoas. A expectativa é que, até o final do ano, 5 milhões de hectares tenham 4G, contribuindo para o crescimento do agronegócio.

0 comentários


EnviarEmoticon

Próxima Proxima
Anterior Anterior