sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Câncer de Pulmão: maioria dos casos está associada ao tabagismo

Dia 29 de agosto é o Dia Nacional de Combate ao Fumo, principal fator de risco para a doença

Resultado de imagem para Câncer de Pulmão: maioria dos casos está associada ao tabagismo
 

O câncer de pulmão é o segundo mais frequente no Brasil, atrás apenas do câncer de pele, segundo o Instituto Nacional do Câncer¹, com 31.270 novos casos todos os anos. Para conscientizar a população sobre as consequências do uso de tabaco e da poluição ambiental, alguns dos principais causadores da doença foi criado o Dia Nacional de Combate ao fumo, no dia 29 de agosto. A Dra Mariana Laloni, oncologista e coordenadora do Centro de Oncologia do Hospital 9 de Julho (H9J) traz informações relevantes sobre o tema.
Segundo a Dra. Laloni, o tabagismo corresponde à causa da maioria dos diagnósticos e é, portanto, o maior fator de risco para o desenvolvimento da doença. "Fumantes e ex-fumantes costumam ter 20 vezes mais chances de desenvolver câncer de pulmão do que pessoas que nunca fumaram", afirma.
Sintomas e diagnóstico
Na sua fase inicial normalmente o câncer de pulmão é uma doença silenciosa, que traz pouco ou nenhum sintoma. "Isso é um problema, porque quando começam a aparecer os sintomas como tosse, tosse com secreção com sangue, pneumonia de repetição e dor torácica significa que a doença está em fase avançada", alerta a médica. O diagnóstico é feito a partir dos resultados de exames de análises clínicas e de imagem, mas, principalmente, por uma biópsia.
Entre os exames solicitados estão radiografia de tórax, tomografia computadorizada, ressonância magnética, tomografia por emissão de pósitrons (PET-CT) e cintilografia.
Tratamento
Em fases iniciais da doença o tratamento é cirúrgico. Nas fases mais avançadas, quando há um comprometimento grande do pulmão ou quando a doença foi disseminada a outros órgãos, o tratamento é sistêmico, ou seja, do corpo todo.
A médica afirma que o especialista pode lançar mão de quimioterapia isolada, quimioterapia associada a imunoterapia, só imunoterapia ou terapia alvo.
"Entre os profissionais envolvidos no tratamento estão oncologista, pneumologista, cirurgião torácico, radioterapeuta, médico nuclear, enfermeiro, fisioterapeuta e nutricionista". Segundo a Dra. Laloni, em geral, prevenção do câncer de pulmão é não fumar.
¹ Dados do Instituto Nacional do Câncer:

0 comentários


EnviarEmoticon

Próxima Proxima
Anterior Anterior